______Versão on-line do zine Canibal Vegetariano______

Somos loucos apaixonados por rock, buscando sempre divulgá-lo de forma independente, sem jabá e amarras.

sábado, 30 de março de 2013

Mantendo o ritmo com Ummagma



Você já ouviu falar sobre a banda Ummagma  neste blog, Canibal Vegetariano, com uma entrevista com membros da banda Alexx e Shauna, e sobre a sua colaboração com a banda ucraniana Nameless (UA, Ternopil). Tendo lançado dois álbuns, remixes diversos, um único conjunto, e quase uma dúzia de vídeos de música no passado semestre, não é de admirar que este duo improvável tem sido o foco de mais de 130 artigos de imprensa originais emitidos em mais de 20 países, incluindo um de página inteira na revista Rolling Stone Rússia.

Mais uma vez, os holofotes se voltam para Ummagma graças a vários acontecimentos intrigantes para esta canadense-ucraniana-gênero multi (indie alt-rock dreampop ambiente postrock shoegaze) duo. O primeiro é o novo remix de "Lama" por Jane Woodman, um DIY multi-instrumentista e cineasta cuja própria contribuições musicais são notáveis ​​(nós vamos chegar a isso em um minuto). Em comparação com a versão original do Lama, com sua distinta sensação de sonho torpor olhar-arejado trippy, remix Woodman é notável por sua deliciosa lado sombrio, uma dica para o seu trabalho (e futura) anterior. A faixa mantém o apelo shoegaze mesmo dreampop do original, ao ganhar algo que é claramente mais perto de darkwave, gótico e até mesmo um pouco industrial.

Ambos Ummagma e Jane Woodman são ambos TOP-nos familiares de gráfico de Nova York e o Darkroom Indie Music Chart concorda com Dingus em recente avaliação da Música desta dupla: "Eu não conseguia pensar em uma combinação mais perfeita ou um par melhor para representar a cena musical DIY"

Em seguida, voltar-se para Jane Woodman, um artista solo com sede em San Francisco, que estreou seu primeiro EP "Electronique Poema" há mais de um ano e já nos deu uma prévia do que está por vir de seu próximo álbum "Red Adolescente", produzido por Monte Vallier (A Lua Soft, Weekend, Lentidão). O som dela é um ópio viciante do sonho de indutores de guitarras, vocais sonhadores evasivas, e cama ritmo industrial que envolve em camadas subliminares de shoegaze, gótico, pós-punk e darkwave. Ela recentemente lançou um vinil colorido de 7 "com avant violoncelista Zoe Keating (conhecido por seu tra
balho com Rasputina e Palmer Amanda, ex-Dresden Dolls). Nós temos observado recentemente a atenção significativa em sua direção e é claro o porquê. Como a situação com Ummagma, isso é arte.

Assista vídeos próximos, incluindo um para remixar Jane de "Lama", em um futuro próximo. Enquanto isso, por favor, aproveite o vídeo mais recente Ummagma, mixado pelo cineasta e Uziel arte Dimitry designer com o apoio do blog que comemora Itself Records, que tem, aparentemente, desenvolveu uma relação mútua com Ummagma.



Keeping Pace with Ummagma


You have already heard about the band Ummagma previously on Canibal Vegetariano – an in-depth review of their music, an interview with band members Alexx and Shauna, and about their collaboration with Ukrainian band Nameless (UA, Ternopil). Having released 2 albums, several remixes, one joint single, and nearly a dozen music videos in the past half-year, it’s no wonder that this unlikely duo has been the focus of over 130 unique press articles issued in over 20 countries, including a recent full-page feature in Rolling Stone Russia.

Once again, the spotlight swings back towards Ummagma thanks to several intriguing developments for this Canadian-Ukrainian multi-genre (indie alt-rock dreampop ambient postrock shoegaze) duo. First up is the new remix of “Lama” by Jane Woodman, a DIY multi-instrumentalist and film-maker whose own musical contributions are noteworthy (we’ll get to that in a minute). In comparison to the original version of Lama, with its distinct airy dream-daze-gaze trippy feeling, Woodman's remix is noteworthy for its dark luscious underbelly, a tip-off to her previous (and forthcoming) work. The track retains the same dreampop shoegaze appeal of the original, while gaining something that is clearly closer to darkwave, goth and even slightly industrial.

Both Ummagma and Jane Woodman are both TOP-5 familiars of New York City’s Indie Darkroom Chart and The Scottish New Music Chart. I’d have to agree with Dingus on Music’s recent assessment of this duo: “I couldn’t think of a more perfect combination or a better pair to represent the DIY music scene”
  
Next we turn to Jane Woodman, a solo artist based in San Francisco, who debuted her first EP “Poem Electronique”  over a year ago and has already given us a sneak preview of what’s to come from her forthcoming album “Teenage Red”, produced by Monte Vallier (The Soft Moon, Weekend, Slowness).  Her sound is an addictive opiate of dream-inducing guitars, evasive dreamy vocals, and industrial rhythm bed that wraps you in subliminal layers of shoegaze, goth, post-punk, and darkwave. She recently released a colored vinyl 7” with avant cellist Zoë Keating (known for her work with Rasputina and Amanda Palmer, formerly of Dresden Dolls). We've recently noticed significant attention in her direction and it's clear why. Like the situation with Ummagma, this is ART.

Watch for forthcoming videos, including one for Jane’s remix of “Lama”, in the near future. In the meantime, please enjoy the latest Ummagma video,  mixed by filmmaker and art designer Dimitry Uziel with support from The Blog That Celebrates Itself Records, which has apparently developed a mutual relationship with Ummagma.

Nenhum comentário: