______Versão on-line do zine Canibal Vegetariano______

Somos loucos apaixonados por rock, buscando sempre divulgá-lo de forma independente, sem jabá e amarras.

domingo, 21 de julho de 2013

De volta ao passado

Ao ver o recém lançado DVD 'Vinil ao vivo', com a banda Kid Vinil Xperience, o telespectador viaja no tempo e volta para o final dos anos 70, começo dos anos 80 do século passado, época em que o punk rock aparecia para o mundo.
                O referido DVD traz um show da atual banda de Kid Vinil, jornalista, radialista, crítico musical entre outras funções no mundo pop. Entre as músicas clássicas da época de sua banda mais famosa, Magazine, Kid relata um pouco de sua história e também de cada música que executa, como a maneira que foi composta, os compositores entre algumas outras curiosidades.
                O show foi gravado em Novo Horizonte, interior do Estado de São Paulo e entre os clássicos da Magazine, Kid relembra "nonsense total", da segunda formação de sua banda, no início deste século e também um grande clássico do rock nacional dos anos 80, "surfista calhorda", dos gaúchos Replicantes.

                Com boa qualidade de áudio e também visual, o DVD nos remete para tempos passados, pois a história do rock é muito rica e Kid, que sempre esteve envolvido com a cena roqueira, sabe mais do que ninguém fazer relatos históricos. Um DVD que vale muito a pena ser assistido.  

sexta-feira, 12 de julho de 2013

O Rock'n'Roll vai bem, obrigado!

  O rock'n'roll vai muito bem, obrigado. Cheguei a essa conclusão depois de ir ao Bar do Zé na noite da última quinta-feira, 11 de julho, quando Circus Boy, de Campinas, e Black Drawing Chalks, de Goiânia, tomaram de assalto o palco do bar.
                Toda noite sempre promete algo, pois o dia geralmente é hostil e a noite ela aparece para nos trazer de volta à vida. E a noite do dia 11 prometia, pois Black Drawing Chalks é umas das bandas mais interessantes que surgiu em nosso país nos últimos anos.
                Como havia visto a banda há pouco mais de um ano em Bragança Paulista, no Grito Rock 2012, quando soube que ela se apresentaria pela região, nós do Canibal Vegetariano nos direcionamos para Campinas. Não sabia que haveria uma banda de abertura, soubemos no momento em que olhamos para o cartaz.
                E a banda que abriu a noite extremamente rock'n'roll é de Campinas. O power trio executa canções com influências de várias vertentes do rock, mas dá para sentir um lance parecido com Black Label Society, sem ser mera cópia, e em muitas passagens de guitarra, lembrei também de Lynyrd Skynyrd. O camarada David "Geffen" Bueno também teve a mesma impressão.
                O show dos campineiros foi um "arrasa quarteirão", não deixaram pedra sobre pedra. O público que lotou as dependências do bar agitou, cantou e curtiu muito a apresentação dos campineiros que tem um baterista monstro, que faz uma barulheira, no melhor sentido da palavra, com kit que lembra muito de Charlie Watts. Ele provou que menos é mais.

                Ao final do show dos caras, ficamos na expectativa de curtir a Black Drawing. Se fosse outra banda, teria pena dos caras que subiriam ao palco depois da Circus Boy, mas os goianos sabem fazer rock da melhor qualidade e não deixaram por menos, um show daqueles memoráveis, com mais de uma hora de duração. E o som da banda fica ainda melhor em espaço fechado, como o BDZ.
                Eles visitaram seu repertório e levaram o público ao delírio. Rodas foram abertas, cervejas "voaram" e banharam parte da galera, que em uma madrugada de sexta-feira, voltou para casa mais feliz, pois o rock, ah meu filho, está mais vivo do que nunca! Depois de dois shows desse porte, só nos restou voltar para casa e dormir, pois sabemos que o rock ainda tem muita lenha para queimar.

PS: As fotos são de arquivo do Canibal Vegetariano (Black Drawing) e divulgação da Circus Boy. Estamos sem máquina fotográfica, pois a nossa quebrou e não temos verba para comprar outra. Vida de blogueiro é dura.

terça-feira, 9 de julho de 2013

Lomba Raivosa: rock rápido e furioso

Divulgação

Formada há alguns em São Paulo, a Lomba Raivosa é uma banda que toca músicas rápidas, emergentes e com necessidade de botar para fora toda raiva que sente. Devido ao lançamento do seu terceiro disco, Choula, resenha já publicada no blog, conversamos com o trio para saber como foi o processo de gravação e também passamos a limpo a história desses malucos. Abaixo, você confere entrevista  na íntegra.

Canibal Vegetariano: Como surgiu a Lomba Raivosa? O nome foi inspirado em que?
Lomba Raivosa: A banda surgiu por excesso de tempo livre e suicídios que não deram certo. O nome foi inspirado num filme B clandestino que ninguém nunca viu.

CV: Quem são os integrantes da banda? Já houve mudança de formação?
LR: Sempre usamos apelidos imbecis nos discos que lançamos, mas na real somos 3 homens de nomes/apelidos muito simples: Testa, Passa-Mal e Ítalo. Nunca houve mudança na formação e nem haverá. Se sair um, acaba tudo. É o único contrato que temos.

CV: Vamos falar sobre o novo disco. Por que Choula?
LR: Choula é o nome de um ritual de uma galera muito mais doida do que nós, e do que você, é sobre a passagem para vida adulta. Esse disco é nosso terceiro em 3 anos, veja só. E com ele acreditamos que finalmente rolaram músicas que a gente curtiu, pirou, tanto que se não fosse nós mesmos tocando até pagaríamos pau e pediríamos VIP para os shows. Ou nada disso aí também.

Divulgação

CV: Como foi o processo de composição dos arranjos e letras?
LR: É muito simples! Muito rápido! É uma maravilha! Acho que chamar de arranjo é exagero, é coisa de banda que se valoriza e nós não valorizamos nem nossas mães. Geralmente um de nós chega com a música já 85% pronta e aí todo mundo vai seguindo, aprendendo e jogando alguma ideia nova, leva coisa de 2 ou 3 ensaios para terminar. As letras também funcionam assim.

CV: Como vocês escolheram o estúdio, pois o resultado da gravação ficou sensacional.
LR: Muito bom saber que você achou que a gravação ficou muito boa, ficamos muito felizes! Se você estivesse aqui do nosso lado ganharia um abraço de marinheiro. O estúdio é o mesmo que sempre gravamos (Estudio Studio, do nosso amigo Nene Jr.), é que dessa vez conseguimos tirar um caldo melhor e mais sujo.

CV: E o trabalho gráfico, quem foi o responsável?
LR: Ideias, design e fotos by: Passa-Mal (nosso baixista e um dos cantantes).

CV: Quem é o público da Lomba Raivosa e em quais locais vocês costumam se apresentar?
LR: Se a gente tem um público ainda não fomos apresentados a ele. Pouca gente gosta de nós, a maioria deve fingir mesmo, mas tá tudo bem... Nossa missão é outra. Tocamos em tudo que é canto e lugar, somos de São Paulo, mas já fomos para vários outros estados e até demos uma rápida passada na Argentina.

CV: Como vocês avaliam o mercado independente no Brasil? Vocês vivem da banda?
LR: Mal vivemos dos nossos empregos, imagina viver dessa banda fazendo esse som... Sem chance! A cena independente vem aumentando e melhorando em vários pontos, não só musical, cultura independente em geral. Agora tirar dinheiro disso, é para poucos, alguns bons, outros sortudos, outros charlatões.

CV: O que há para melhorar na cena independente em nosso país?
LR: Menos ego. Mais aparelhagem legal.

Divulgação

CV: Geralmente pessoal envolvido com rock, tem atitude crítica. Como vocês avaliam os manifestos que ocorrem em todo país?
LR: Participamos dos protestos em São Paulo (até levamos a banda argentina Triste Realidad, que veio para tocar uns shows com a gente e acabaram dentro do panelaço) e o lance é que para variar, tem muita confusão. Tem muita gente que sabe bem o que tá fazendo, tem gente que tá lá brincando de fascista enrustido, tem gente que tá tirando foto para o Instagram, tem gente que tá na micareta, tem os caras-pintadas, tem gente que nem queria estar lá... Mas, apesar de tudo, é algo importante para caralho de estar acontecendo. Esperamos que não se torne algo vazio e que abra de vez a cabeça do pessoal.

CV: Agradeço pela entrevista e deixo espaço para considerações finais e também para que façam o merchan de vocês. Abraços.
LR: Valeu pelo espaço, pelo carinho e pela resenha. Queremos deixar claro para você que está lendo que não pagamos nada disso, tudo foi feito pelo bom coração desse Canibal voraz. Para baixar nossos CDs, ver clipes, achar link de tudo que é merda... entra aí no nosso site: http://www.lombaraivosa.com
Beijos! Montem bandas! Chorão eterno! Tcharroladrão! É 'nóis'!

terça-feira, 2 de julho de 2013

A Hora do Canibal

Mais dois programas A HORA DO CANIBAL disponível para o ouvinte curtir e chorar quando quiser.



Segue: programa 135:





PROGRAMA 137