______Versão on-line do zine Canibal Vegetariano______

Somos loucos apaixonados por rock, buscando sempre divulgá-lo de forma independente, sem jabá e amarras.

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Jovem noite de domingo, encerramento do Auto Rock

Após 11 dias de muito rock, exposição, filmes, palestras entre outras atividades, chegou ao final a 5ª edição do Festival Auto Rock, evento que é realizado anualmente em Campinas.
Devido à dificuldade financeira e problemas de saúde, a galera do zine/blog Canibal Vegetariano só pode estar nos dois últimos dias do festival. Mas, entre os males o menor, ao menos curtimos duas noites de muito rock. No sábado dia 10, nos deslocamos até Barão Geraldo, onde está situado um dos bares mais legais e muito procurado por bandas independentes, o Bar do Zé. A programação do dia prometia, três bandas, duas de Campinas e uma do Rio de Janeiro. Representando o rock local, tivemos o new-wave, punk pop da Lunettes e a surf-music dos Violentures. Representando o estado fluminense e o punk, tivemos a participação da banda Os Estudantes.
As primeiras a subir ao palco, foi a banda Lunettes. Desde o início a banda agitou a pista de dança do local, levando os fãs ao delírio. Neste show, deu para sacar que a nova guitarrista da banda, Haline, já deu um toque pessoal às músicas do grupo, deixando-as mais cadenciadas e com o timbre de guitarra mais pesado. Durante o show, a banda apresentou uma nova canção.

Banda Lunettes durante apresentação no Bar do Zé. Quase no final do show, a banda mostrou uma música inédita

Assim que a Lunettes saiu do palco, a vez foi da banda Os Estudantes, que mandou muito bem, um rock punk hardocre, muito bem executado com muita energia, fazendo o público agitar. Eu conhecia a banda somente através de disco, mas depois do show, foi possível notar que os caras formam uma grande banda. Sem frescuras, os caras mandaram um petardo atrás do outro, deixando os roqueiros que estavam no local com um grande sorriso no rosto.

Os fluminenses d'Os Estudantes mandaram muito bem com seu rock simples e enérgico

Para fechar a noite, Violentures. Show que dispensa qualquer tipo de comentário, dá para resumir em apenas algumas palavras, foi uma apresentação simplesmente do caralho. Mesmo com um baterista improvisado, Lirão, do Muzzarelas, que por sinal, arrebentou, os "Violeras", como foi chamado pelo guitarrista Stênio, devido ao número de integrantes do "Muzza" tocando no palco, o o show foi sensacional e havia muitos amigos dos músicos na platéia e no final da apresentação houve uma série de jams sessions incríveis, que também contou com a participação de um dos organizadores do festival, baixista do Drákula, Muzzarelas entre outros trampos, Daniel ETE. Juntos eles mandaram sons que botaram a casa "abaixo" e ainda mandaram Ramones. No final, tivemos uma celebração ao rock. Três shows fodassos!!!

Dois momentos da apresentação da banda Violentures. Na primeira foto, o power trio executando sua surf-music enérgica. Acima, participação de Daniel ETE nos vocais

DOMINGO

A festa no BDZ teve início no sábado e terminou durante a madrugada. E no final da tarde, no domingo, teríamos o encerramento do festival, desta vez na Estação Cultura. Para encerrar com chave de ouro a quinta edição, tivemos três shows, com entrada franca. No palco conferimos as apresentações do bragantinos do Leptospirose e de duas bandas consideradas veteranas do punk hardcore, Ação Direta e Ratos de Porão.
A tarde de rock pauleira foi aberta pelo Leptospirose, que para variar, fez com que o pessoal a cada música agitasse com seu som direto, bem direto, uma porrada na orelha. A apresentação do "Leptos" foi de muita energia, provando mais uma vez que a cada dia, os caras estão cada vez mais com status de banda grande. Show fodasso! Rock sem frescuras e contagiante. E um ponto mais do que positivo, não faz nem um ano que eles lançaram o Mula Poney, segundo disco da banda, e eles mandaram músicas inéditas. Este ano, segundo Quique, guitarrista e vocalista, não teremos disco novo na praça, mas em novembro, eles prometem lançar um DVD sobre a turnê que eles realizaram na Europa em 2007.

O último dia do festival começou com o show da banda Leptospirose, que fez a galera agitar com seu rock pauleira alucinante

Depois do showzaço do "Leptos", subiram ao palco os caras do Ação Direta. A banda que está na ativa há quase 20 anos, mandou muito bem seu rock pauleira. Mas, algo eu não entendi. Antes eles mandavam um punk muito bom, e no show de domingo, ao menos eu entendi assim, os caras estão flertando muito com o "metal", deixando o som, ao menos na minha opinião, muito "duro" e sério. Particularmente, após ouvir quatro ou cinco músicas, acompanhei o resto do show de longe pois estava com fome e ainda haveria um show do Ratos.
Para encerrar a noite e o festival, sobe ao palco, umas das melhores bandas brasileiras de rock, Ratos de Porão. O último show que eu havia visto foi em 1998 e deu para sacar que os caras evoluíram nesses 11 anos. Show para roqueiro nenhum botar defeito. E havia muitos na Estação Cultura, de todas as idades e "tribos". E com o local lotado, os caras "desfilaram" uma enxurrada de hits que compõem o repertório, entre eles: Amazônia Nunca Mais, Agressão, Repressão, Sofrer, Aids, Pop, Repressão, Velhos Decreptus, Crianças sem Futuro, entre outros.

Os Ratos de Porão fecharam a quinta edição do Auto Rock "desfilando" um repertório com "crássicos" do punk e hardcore

Você que é crítico da banda, devido à ocupação de João Gordo, vocalista da banda, que trabalha na MTV, pare com isso. No palco, João continua foda, no bom sentido da palavra. Tem controle absoluto sobre a platéia, devido ao seu carisma e competência. O show foi fantástico, som excelente, público agitado e curtindo muito, abrindo rodas e pogando. Foi uma apresentação calorosa e com muita pegada rock, provando mais uma vez que rock não tem nada a ver com idade, pois o Ratos em breve irá comemorar 30 anos de banda. E eles são como vinho, quanto mais velhos melhor.
E assim, terminou mais uma edição do Auto Rock, já estamos com saudades e na expectativa para que em 2010 possamos curtir mais uma vez. Ficam aqui os parabéns aos organizadores e ao público que compareceu, curtiu, agitou, tudo em paz. Nos dois dias que estivemos acompanhando os shows, não percebemos qualquer tumulto ou confusão. Tudo o que presenciamos foi algo que dá mais força a uma frase muito legal que o ETE disse em uma entrevista para a galera do "Rock'n'Beatz", que nós concordamos plenamente: "O mundo do rock é lindo".

Crédito das fotos para Nova Rádio Web

4 comentários:

Tatiana disse...

eitcha, canibal...
vc é o poeta do rock! mto bom o post, li inteiro!
mto mais massa qdo a gente tá meio por dentro do assunto, né?
show!
beijo.

Fábio André Oliveira disse...

Realmente excelente o post, afinal todos os shows que pudemos acompanhar foram do caralho!!! e infelizmente ação direta deixou a desejar... minha surpresa foi leptos como eu sempre falo para o canibal, não gosto muto do tipo de som, mas dessa vez ??? um pouco de mudança no meu ponto de vista!! Abraços Boss

Dony disse...

Massa esse brogis ein! Yeahh!!

Ahh, uma coisa, toco nos Estudantes, vc sabe de alguem q tenha fotos do nosso show?

Ficaria agradecido, filmamos e tudo, mas deu merda e apagou a parada =/

Um abraço!

Dony

♥ Janinha ♥ disse...

Gostei do blog!!!!
Apesar de ser meio alienada no mundo do rock, rs, mas ja ouvi falar bastante do bar do Zé!

beijokas