______Versão on-line do zine Canibal Vegetariano______

Somos loucos apaixonados por rock, buscando sempre divulgá-lo de forma independente, sem jabá e amarras.

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Surf music para rio poluído

A banda campineira Drákula ataca novamente com o novo EP 7 polegadas, em vinil, denominado “Death Surf”. Podemos dizer que as quatro canções que compõem o novo rebento do quarteto seria a trilha sonora perfeita para surfar nos rios poluídos de qualquer cidade brasileira.

A mistura surf music, punk e garage rock soa cada vez mais suja, no mais que bom sentido da palavra, e pesada. As guitarras soam cortantes, com ótimas linhas de baixo e bateria precisa, simples, mas com muita pegada. Atrás dos tambores a banda tem novamente o comando de Lobisomem que retorna após período sabático.

E o retorno de Lobisomem deu nova energia para banda. Os shows estão diferentes e no estúdio a pegada também soa com ares nostálgicos mas totalmente vibrante. A primeira faixa do lado A, como é bom escrever dessa maneira, “Death surf”, é uma mistura de tudo que dissemos e mostra do que os caras estão a fim, rock, punk, surf, sujeira e diversão.

A segunda faixa deste lado, “Massacre a meia-noite”, que havia sido lançada ano passado na coletânea virtual da Motim Records, em vinil soa ainda mais sinistra e roqueira. O peso também é outro. No lado B tem “Shake me your bones” que não deixa o esqueleto parado e faz o ouvinte sair se mexendo freneticamente. E ainda neste lado, como diz Daniel ETE, tem o clássico de Barão Geraldo, “de quando Barão Geraldo era Barão Geraldo”, a faixa “Lado de fora”, clássico da banda Grease, para fechar o EP com chave de diamante.

Além das músicas, é preciso destacar o lindo trabalho de ETE na capa e contra do EP e também a gravação. Instrumentos totalmente audíveis, esqueça aqueles registros onde um instrumento cobre o outro, aqui o fã ouve tudo de maneira como deve ser um disco de rock como o Drákula se propõe a fazer. Nota 10.

Nenhum comentário: