______Versão on-line do zine Canibal Vegetariano______

Somos loucos apaixonados por rock, buscando sempre divulgá-lo de forma independente, sem jabá e amarras.

domingo, 28 de junho de 2015

Luxo no heavy metal

Fotos: Divulgação
Há alguns meses a banda itatibense Eyes of Gaia lançou seu primeiro álbum “The power of existence”. Disco gravado de maneira totalmente independente, os caras botaram a “bolachinha” no mundo e por onde passam chamam atenção dos apreciadores do estilo. Para saber mais sobre o trabalho dos caras, conversamos com o guitarrista Bruno Tourino. A entrevista na íntegra você confere abaixo. 

Canibal Vegetariano: Como a banda foi formada, desde quando estão na estrada? Houve alguma mudança na formação? Aproveitem e apresentem-se com nomes e instrumentos de cada integrante.
Bruno Tourino: A banda foi formada em 2008 pelo Mário Kohn (vocalista), Rodolfo Liberato (Baixista) e Flávio Sallin (ex-tecladista). Nessa época a banda lançou o EP “Final Tears” e também tocou com alguns nomes importantes como Dragonforce, Glenn Hughes e Almah. Em 2011 houve mudança na formação com a minha entrada e a do Paulo Virtuoso nas guitarras e a entrada do Betto Cardoso na bateria. Neste ano houve outra mudança na formação com a entrada do André Moura na bateria, substituindo Betto. A formação atual do Eyes Of Gaia é: Mário Kohn (vocal), Bruno Tourino (guitarra), Paulo Virtuoso (guitarra), Rodolfo Liberato (baixo) e André Moura (bateria).

CV: Como rolou o processo de gravação do álbum? Houve alguma ajuda financeira ou vocês bancaram tudo?
BT: Começamos a compor no início de 2012 e no meio desse mesmo ano começamos a pré-produção do álbum. Gravamos em espaços de tempo muito longos devido a vários contratempos. Basicamente bancamos tudo, tivemos alguns apoios, mas essencialmente sem nenhum patrocínio maior. Por conta de ser tudo independente acabou atrasando para ser lançado, só saiu em janeiro deste ano.

CV: A produção do álbum é de Edu Falaschi. Por que vocês optaram por ele como responsável por este trabalho?
BT: Já conhecíamos o trabalho do Edu como produtor e achamos que seria a melhor opção naquele momento. Ele tem bastante experiência e acabou passando muita coisa legal para gente. Aprendemos bastante com ele e gostamos do resultado final do trabalho.

CV: Como está a procura pelo CD e o processo de divulgação?
BT: O CD está tendo uma boa procura guardadas as devidas proporções do mercado atual e do nicho do heavy metal. Ele [CD] está sendo vendido diretamente com a banda e também na loja Die Hard, na Galeria do Rock, em São Paulo. Divulgamos o CD basicamente pela Internet através das nossas mídias sociais e sites parceiros que fazem resenhas. Os shows também tem sido uma ótima forma de divulgação. A procura por CD e camiseta nos shows tem sido boa.

CV: Como as pessoas tem recebido o trabalho?
BT: O feedback tem sido muito positivo! Superando todas as nossas expectativas. Tivemos uma resenha com nota 9 na revista Roadie Crew, a maior revista especializada do Brasil. Posteriormente rolou uma entrevista bem legal na Roadie Crew também, feita pelo Ricardo Batalha, um nome bem respeitado no meio. Diversos sites especializados também têm feito resenhas bem legais falando bem do álbum. Sem contar as pessoas que tem vindo elogiar o álbum diretamente para nós através do Facebook. Outro fato muito importante na carreira da banda foi a entrevista no programa do Andreas Kisser, na 89 A Rádio Rock. A audiência do programa é muito grande e fez com quem pessoas de todo o Brasil conhecessem nosso trabalho!

CV: Quais os planos da banda para o segundo semestre?
BT: No segundo semestre queremos continuar fazendo shows para divulgar o álbum que é bem recente. Temos algumas datas marcadas em Itapetininga/SP, com a banda King Of Bones, Pouso Alegre/MG, no festival Tonelada, Itatiba/SP (nossa cidade) com a banda Project46. E estamos negociando shows em mais cidades.

CV: Atualmente, quem é o público que ouve sons da banda? E os espaços para shows, como estão?
BT: O público do Eyes Of Gaia é o público do Heavy Metal, na sua maioria a galera entre 15 e 30 anos. É um nicho pequeno, bem segmentado porém exigente. Existem bares e casas de shows que abrem espaço para bandas de heavy, além de festivais e shows em eventos públicos. É importante a união das bandas para que o público sempre se multiplique nos shows e as bandas aumentem seus seguidores.

CV: Grato pelo papo, deixo espaço para considerações finais.
BT: Muito obrigado pelo convite, pela oportunidade para contar sobre nosso trabalho e parabéns pelo seu excelente trabalho que é importantíssimo para as bandas independentes e para a cultura do país de uma maneira geral. Quem quiser conhecer mais sobre o Eyes Of Gaia acessem nossas mídias sociais:
www.facebook.com/eyesofgaiaofficial
www.youtube.com/eyesofgaiaofficial
www.eyesofgaiaofficial.com
Muito obrigado! Paz e amor!

Impressões sobre ‘The power of existence’

O heavy metal é um dos estilos que mais exige de seus músicos e talento é o que não falta na banda Eyes of Gaia. O primeiro registro dos caras “The power of existence” mostra toda capacidade individual dos músicos e também o trabalho que conseguem desenvolver em equipe.
Com dez faixas e produção de Edu e Tito Falaschi, a banda mostra tudo aquilo que os fãs do estilo adoram. Guitarras altas, solos, bends, vocais afinados, baixo encorpado e bateria alucinante. 
Esse é um álbum que os amantes da música “pesada” precisam ter em sua discoteca, afinal, não é sempre que uma banda lança um disco com tanta música boa e de maneira totalmente independente. Se você ainda não tem o seu, corra para adquiri-lo.

Nenhum comentário: