______Versão on-line do zine Canibal Vegetariano______

Somos loucos apaixonados por rock, buscando sempre divulgá-lo de forma independente, sem jabá e amarras.

domingo, 10 de novembro de 2013

Meia década de loucuras

Canibal Vegetariano
Vinicius, Ivan e Boss, nos estúdios da Nova Rádio Web
 A melhor definição para escrever sobre o aniversário de cinco anos do programa A HORA DO CANIBAL realmente é a expressão citada acima, meia década de loucuras. Hoje, 10 de novembro de 2013, completamos cinco anos de um programa voltado para o rock'n'roll, mas não para tocar "mais do mesmo" e sim apresentar novas bandas e as várias facetas desse senhor quase sexagenário.

A HORA DO CANIBAL foi criado em outubro de 2008, dias depois do lançamento da primeira edição impressa do Fanzine Canibal Vegetariano. Devido ao lançamento do zine, nosso camarada e então diretor da Nova Rádio Web, Boss, vulgo Fabinho de Oliveira, chegou um dia qualquer e convidou a mim e ao meu camarada Vinicius França, para participarmos de seu programa, "Rádio Livre", para divulgarmos o zine.

Canibal Vegetariano
Kid Vinil foi o primeiro entrevistado do programa
Convite feito, convite aceito. Vinicius e eu fizemos uma playlist com os sons que gostávamos de curtir e das bandas que havíamos entrevistado para primeira edição. Durante esse programa, Boss teve a ideia de transformar o zine/blog em programa de rádio. Em uma semana, criamos nome, quadros, vinhetas e nossa camarada Tatiana Petti, foi até o estúdio e gravou várias vinhetas. Fãs da banda Drákula, fomos até Campinas falar com Daniel ETE para liberar a música Zombie Birdman, pois ela era ideal para ser trilha do programa.

Com tudo pronto, precisaríamos de um apoio jurídico, devido a alguém não gostar do que falássemos e prontamente nossa amiga e advogada Andréa Lima, aceitou cuidar de nosso departamento jurídico. Tudo acertado, em 10 de novembro de 2008 rolou o primeiro programa. De lá para cá, muita coisa mudou.

No final de 2008, Vinicius saiu em férias e ficou ausente por duas semanas, nossa amiga e ouvinte Rejane Castaldi se propôs a cobrir o descanso de nosso camarada. Cerca de dois meses depois, Vinicius precisou deixar o programa. Ali deu-se a impressão que seria o fim de um projeto que começava a ganhar espaço. Novamente Boss entrou na "fita" e pediu para este que vos escreve seguir com o projeto, pois, apesar de tudo, seria capaz de tocá-lo. E assim, chegamos a cinco anos.

Canibal Vegetariano
Brazilian Cajuns Souhern Rebels, de Londrina/PR,
 para tocar ao vivo no programa 
Nessa meia década de tantos programas, ele foi sendo reformulado inconscientemente, devido as mudanças de emissoras, chegamos a ser transmitidos em rádio FM especialiazada em rock, devido a mudança de público, ao próprio formato com bandas em apresentações acústicas, convidados de diferentes estilos. Nesse tempo de programa, músicos, políticos, jornalistas, ativistas ambientais, manifestantes, professores, advogados e ouvintes foram entrevistados em um programa que é politicamente incorreto, não por vontade própria, simplesmente porquê nasceu dessa maneira.

Em data tão importante como esta, agradeço a todas as bandas que acreditaram e acreditam no projeto, pois sem essas bandas que tocam em bares, porões e estúdios não existiria o Canibal Vegetariano, muito menos esse programa.

Canibal Vegetariano
Quique Brown e Matias Picon, durante programa gravado
na cozinha da casa da mãe do apresentador
Agradeço ao Boss, Vinicius, Andréa Lima, Rejane Castaldi, Tatiana Petti, David "Geffen", entre tantas outras pessoas, que sempre apoiaram e contribuíram muito para este "sucesso". Quantos horas em estradas para acompanhar shows, gravar entrevistas, divulgação do trabalho. Quantas noites sem dormir, eventos organizados. Valeu a todos, obrigado também a você que lê este blog e ouve o programa. Seu apoio é fundamental para o desenvolvimento e crescimento da cena independente.



Nenhum comentário: