______Versão on-line do zine Canibal Vegetariano______

Somos loucos apaixonados por rock, buscando sempre divulgá-lo de forma independente, sem jabá e amarras.

domingo, 4 de janeiro de 2015

Motim Records lança coletânea com bandas da região de Campinas


O guitarrista Gui Trento da banda Meivorts, também é o homem que comanda o selo Motim Records, na cidade de Valinhos. No final de 2014, o guitarrista lançou a primeira coletânea do selo, denominada "Motim Records Vol. 1". Com várias bandas da região campineira, o lançamento visa mostrar ao mundo bandas da região e o fanzine/blog Canibal Vegetariano bateu um papo com Gui que falou sobre o trabalho atual e outras novidades. A entrevista, na íntegra, você confere abaixo.

Canibal Vegetariano: Cara, como surgiu a ideia de criar a coletânea Motim Records? Teve alguma influência da compilação do Raro Zine somente com bandas bragantinas?
Gui Trento: A ideia surgiu ainda em fevereiro, quando o selo foi criado. Pensei em lançar ou apoiar de alguma maneira as bandas aqui da região: Valinhos, Campinas, Piracicaba, Jundiaí, Indaiatuba... tem muitas bandas de qualidade por aqui, e a maioria da galera ainda não conhece. Certamente escutei a compilação do Raro Zine, mas não teve influência direta, acho apenas que tivemos a mesma ideia de apoiar e divulgar as bandas de uma determinada região.

CV: Como foi realizada a escolha das bandas que estão neste primeiro volume?
GT: Foi uma escolha pessoal. Devo admitir que acabei escolhendo as bandas que tive mais contato neste ano de 2014, ou que mais se destacaram, dando preferência, claro, as que tem o som autoral, que estão começando e tem pouco tempo de estrada. Fiquei antenado no que tava rolando na região e tenho a consciência de que muita banda bacana ficou de fora, tive que limitar o número de participantes em 20 bandas, senão ia ficar uma coletânea muito extensa e acho que o ouvinte perde o interesse.
Evidente que as bandas que ficaram de fora estarão na próxima coletânea. Aos poucos vamos juntando e catalogando todas as bandas da região, é um trabalho árduo, como falei antes, tem muita banda legal, e todas merecem seu devido valor.
Fora as bandas aqui do interior, resolvi chamar alguns convidados especiais: F.Nick, que é um cara bem conhecido em todo o Brasil, pelo seu trabalho no FISTT e ObaShop/ObaRecords; o Horace Green, banda do Shamil, que também fez um trabalho bacana em 2014, criando o selo O Homem Coletivo. Tem também a banda Mar Morto, punk rock do litoral, vocal feminino gritado e rasgado, uma das bandas que mais gostei de ter conhecido esse ano, achei interessante ter eles nesta primeira coletânea. E a banda Angry Beavis, lá de Curitiba, que conheci no fim do ano passado, pegada melódica, vocal feminino também (sim, tenho uma quedinha por bandas com mulheres no vocal!).

CV: As bandas gravaram músicas especialmente para compilação?
GT: Não especialmente para a compilação, mas tive o prazer de pegar aquela fase mágica: a maioria das bandas estava em estúdio em processo de composição ou gravação, então tivemos a sorte de ter alguns lançamentos já nesta coletânea. Foi assim com o Inesperado, que lançamos o som "Cotidiano", o Don Ramón, com a bela canção "Pancada Violenta" e os caras do Box47, que acabaram de entrar em um processo de gravação em home studio, nos presentearam com a música "A Terceira Lei". São músicas que ainda não foram lançadas, mas eles cederam o lançamento para coletânea.


CV: Como tem sido o retorno do público e das bandas em relação a esta compilação? E como tem ocorrido a divulgação?
GT: Posso afirmar que fiquei surpreso com o sucesso da coletânea, muita gente compartilhando, e o mais interessante: pessoas que não tem banda ou não estão ligadas diretamente às bandas ou à coletânea em si, estão compartilhando o link.
Fora que recebi algumas mensagens das bandas, agradecendo por participar do projeto e por terem a chance de conhecer outras bandas da região. Tenho certeza que muitas novas amizades surgirão, partindo desse projeto.
A divulgação tá acontecendo principalmente via facebook, com as bandas e os interessados fazendo a divulgação. Temos o apoio também da Sailor Skateboard, Quintal do Gordo, Ponta Urbana e o Café in Sônia, além de vários blogs e coletivos que estão ajudando na divulgação.
Para 2015, estamos organizando alguns shows com os participantes da coletânea, uma maneira simples de integrar e divulgar ainda mais o trabalho dessas bandas.


CV: Haverá lançamento em CD ou vinil?
GT: Para este primeiro projeto, será apenas digital. Tenho planos de lançar a Motim Records Volume 2 em um formato físico, em breve iniciarei o planejamento e a seleção das bandas.

CV: E a trabalho gráfico feito pelo mestre Daniel ETE. Como foi a escolha dele?
GT: Desnecessário falar do trabalho do cara, né? É bater o olho e falar 'esse trampo é do ETE'. Sempre quis ter um trabalho da minha banda ou mesmo projeto pessoal com uma ilustração dele. Preferi não fazer a arte desta vez [como fiz com os outros lançamentos da Motim Records: o EP "Autocontrole" do Meivorts, e o EP "O quarto onde não se perdem as canções", do Melancolia Lettícia], então já tinha definido desde o início que queria um outro artista fazendo a arte da capa.
Pensei em uma imagem que retratasse bem o interior: um caipira roqueiro todo fodido. E quando conversamos, ele adorou a ideia e veio com algo ainda melhor: um caipira-zumbi! Sucesso na certa, né?

CV: Quais as novidades que a Motim Records trará para o público roqueiro em 2015?
GT: O que posso falar no momento é: no começo de janeiro lançaremos a re-impressão do "Pedaços de Carne", EP da banda Labataria [com cinco músicas bonus, que não saíram na primeira impressão], em parceria com a Putrefa Records e a Sailor Skateboard; teremos também a Motim Records Volume 2. Além disso, vamos organizar alguns shows e festivais aqui na região e, claro, selecionar mais bandas autorais que achamos interessante ter em nosso catálogo.
Fora isso, estou finalizando um projeto que estava engavetado há tempos: inspirado pelo Canibal Vegetariano, estou terminando a diagramação do meu fanzine que se chamará ". erro404", mais voltado para crônicas e textos pessoais, mas claro, terá um espaço especial para resenhas de discos e filmes que eu acho interessante.


CV: Grato pela entrevista e deixo espaço para suas considerações finais.
GT: Obrigado pelo espaço cedido Ivan, parabéns pelo programa, pelo blog e pelo zine, puta material de qualidade, sempre apoio projetos como este, feitos com o coração e a dedicação de quem ama o que faz.
Espero que a ideia da coletânea contagie os coletivos/selos/blogs da região e em breve tenhamos mais coletâneas lançadas, acho que é o formato ideal para conhecer o trabalho das bandas. Quem curtiu o som, pode procurar no facebook ou mesmo no google e se inteirar mais sobre o trabalho de cada banda.
Obrigado à todos pela confiança, parabéns às bandas pelo material de qualidade.
Baixem o disco, compartilhem, pirateie! E não esqueça de curtir nossa página no Facebook (www.facebook.com/motimrecords).
Para ouvir a coletânea acesse: https://motimrecords.bandcamp.com/album/motim-records-vol-i

Um comentário:

TON disse...

MTOOO FODA TRENTO .. VALEU GALERA TODA, A COLETANEA TA FODA DEMAIS... PARABENS PELA IDEIA !!!